Conversando sobre citações e a NBR 10520/02

Posted on outubro 12, 2010

2


Em todos os meus anos de experiência acadêmica como aluna, eu sempre reclamei quando as exigências para os trabalhos solicitados não vinham fundamentadas pelo ensino antecipado das regras decretadas como normas, principalmente no início do curso universitário, pois cada professor tinha sua regra de correção que não era explicitada. Baseados nessa observação, quem tiver a curiosidade de analisar as grades curriculares das Universidades do nosso estado, Pernambuco, vai verificar que muitas delas não têm, no ciclo básico – em geral o primeiro semestre, a cadeira de Metodologia do Trabalho Científico ou outra equivalente. Tive a curiosidade de pesquisar os cursos da UPFE, a Universidade onde estudei, e verifiquei que dos 76 cursos de graduação, apenas 16 trazem essa cadeira no primeiro período.

O paradoxo está na cobrança aos alunos de graduação para que eles façam os trabalhos em consonância com as regras da ABNT e com a estrutura de trabalho cientifico que não foi ensinado para eles. Tal situação fomentou minha intenção de escrever este texto, onde comentaremos a NBR 10520/02 que regulamenta as citações nos trabalhos científicos. Citações e Referencias Bibliográficas são os dois pontos considerados pela maioria das pessoas como os mais áridos e chatos de fazer.

Falaremos sobre como é apresentada a citação dentro do texto e sua referencia.

Por sinal, vamos conceituar referencia e bibliografia consultando Houaiss. Verificamos que referencia tem 5 definições:

1 ato ou efeito de referir, contar ou relatar
2 aquilo que se refere, conta, relata
3 ação de aludir, de mencionar; alusão, menção
4 relação de algumas coisas entre si
5 ato de indicar, por meio de um signo linguístico, um indivíduo, objeto, processo etc. do mundo extralinguístico, real ou imaginário (p.ex., a expressão o atual presidente da República vai referir-se a pessoas diferentes, em contextos de épocas ou de países distintos); designação.

Enquanto bibliografia tem 4 definições:

1 disciplina que tem por objeto agrupar textos impressos segundo critérios sistemáticos diversos (cronológico, autoral, temático, histórico etc.), visando facilitar o acesso a eles
2 o repertório desta forma elaborado
3 relação das obras consultadas ou citadas por um autor na criação de determinado texto
4 seção onde se arrolam os livros e outras publicações recebidos.

 

Logo percebemos que a ABNT associa as definições de referencia e  de bibliografia para o que define e normatiza como referencias bibliográficas, que são utilizadas para identificar as fontes de pesquisa usadas para fazer o trabalho científico. As bibliografias aparecem obrigatoriamente nas citações.

Por sua vez, citação é a informação extraída de outra publicação, utilizada para ilustrar, esclarecer, comparar ou confirmar o assunto em questão.

A ABNT apresenta várias formas de citação e diferentes maneiras de mencioná–las. A NBR 10520/02 define citação como “menção de uma informação extraída de outra fonte” e três variações:

Citação de citação como “citação direta ou indireta de um texto em que não se teve acesso ao original”. Quer dizer, Informação retirada de um documento consultado, cuja obra original não se teve acesso. Na listagem bibliográfica deverá aparecer somente a referência completa do documento consultado, quer dizer, não se deve listar na bibliografia o autor e obra da citação indireta, mas o texto e autor que a continha. Opcionalmente pode-se mencionar a referência do documento citado em notas de rodapé.

Para a redação de citação de citação dentro do texto deve-se utilizar palavras do português usual. Para citações dentro dos parênteses, utiliza-se a expressão latina apud (citado por).

Citação direta “Transcrição textual de parte da obra do autor consultado”. Ou seja, transcrição literal de textos de outros autores. Nesse caso, devem-se especificar as páginas da fonte consultada. A citação direta pode ser curta ou longa. Citações curtas (até 3 linhas) são inseridas na seqüência normal do texto. Citações longas (mais de 3 linhas) devem constituir um parágrafo independente, recuado a 4 cm da margem esquerda, com letra tamanho 10 e digitado em espaço simples, sem aspas. Se desejar, podem ser grafados em itálico para melhor visualização.

Citação indireta é um texto baseado na obra do autor consultado. Ou seja, quando se reproduzem as idéias, sem transcrever as palavras do autor.

A norma explicita ainda, que as citações podem aparecer no texto ou em notas de rodapé. As citações devem ser indicadas no texto por um sistema de chamada: numérico ou autor-data.

Qualquer que seja o método adotado deve ser seguido ao longo de todo o trabalho, permitindo sua correlação na lista de referências ou em notas de rodapé.

No sistema numérico a indicação da fonte é feita por uma numeração única e consecutiva, em algarismos arábicos, remetendo à lista de referências ao final do trabalho, do capítulo ou da parte, na mesma ordem em que aparecem no texto. Não se inicia a numeração das citações a cada página. Não deverá ser utilizado quando há notas de rodapé. A indicação da numeração pode ser feita entre parênteses, alinhada ao texto, ou situada pouco acima da linha do texto em expoente à linha do mesmo, após a pontuação que fecha a citação.

No sistema autor-data a indicação da fonte é feita:

– Pelo sobrenome de cada autor ou pelo nome de cada entidade responsável até o primeiro sinal de pontuação, seguido (s) da data de publicação do documento e da (s) página (s) da citação, no caso de citação direta, separados por vírgula e entre parênteses

– Pela primeira palavra do título seguida de reticências, no caso das obras sem indicação de autoria ou responsabilidade, seguida da data de publicação do documento e da (s) página (s) da citação, no caso de citação direta, separados por vírgula e entre parênteses;

– Se o título iniciar por artigo (definido ou indefinido), ou monossílabo, este deve ser incluído na indicação da fonte.

Deve-se utilizar o sistema autor-data para as citações no texto e o numérico para notas explicativas.

Qualquer que seja o tipo de citação deve-se considerar que as citações com mesmo autor e mesma data de publicação, devem ser diferenciadas por letras minúsculas, em ordem alfabética. Observa-se também que citações de autores com mesmo sobrenome devem ser diferenciadas na citação com o prenome. Não se deve esquecer que todas as citações inseridas no texto devem ter indicação de autor e data da obra da qual esta foi extraída.

Todas as obras citadas no texto devem conter sua referência correspondente na listagem bibliográfica ao final do trabalho. Quando existir textos em outros idiomas, estes devem ser traduzidos, colocando-se ao final da citação a expressão (tradução nossa); nos casos em que o autor da citação estiver inserido no texto, este deverá ser grafado em letras minúsculas (caixa baixa) e, quando estiver entre parênteses, em letras maiúsculas (caixa alta).

É preciso atentar que nas citações de vários documentos de diversos autores, deve-se mencioná-los separados por ponto e vírgula. Quando forem citações de documentos de instituições, utiliza-se o nome da instituição por extenso.

Há ainda as situações em não se consegue identificar a autoria da citação, nesse caso cita-se a primeira palavra do título, seguido de reticências.

Outro ponto importante a ser tratado aqui é em relação à redação das citações.

A redação da citação livre ou da frase que a antecede deve considerar o uso correto do português, ou seja, observar as pontuações e concordância das frases. Deve-se evitar o uso de símbolos, siglas, expressões estrangeiras ou vocabulário rebuscado. Pontos que devemos destacar:

Para as supressões utilizam-se reticências entre colchetes no início, meio e fim da citação. A pontuação das citações textuais deve ser obedecida, ou seja, se a frase termina com um ponto, este deve ser inserido dentro das aspas. Se forem necessárias fazer interpolações, acréscimos ou comentários, estes devem aparecer entre colchetes. Algumas vezes observamos que há erro ortográfico no texto original. A tendência natural é corrigir, mas se isso for feito não será uma citação, sendo assim usa-se a expressão sic (advérbio latino que quer dizer “assim mesmo”) entre parênteses, depois de qualquer palavra ou frase que contenha um erro gramatical ou cujo sentido pareça absurdo.

Quando se deseja enfatizar ou destacar partes de uma citação, deve-se fazer uso do grifo, negrito ou itálico, indicando ao final da citação a expressão “grifo nosso”.

Há ainda Outras considerações sobre citações que devemos observar:

A data que deverá aparecer na citação é a data de publicação da obra consultada. Em alguns eventos, deve-se informar a data do original. A ABNT não prevê a citação de data do original. Sendo assim, ela deverá aparecer somente dentro do texto.

Como não encontramos na ABNT a previsão da citação da data do original, e devido à importância que esta data tem em algumas áreas do conhecimento, alguns autores utilizam as duas datas, separadas por uma barra.

A ABNT também não prevê citações e referências de documentos históricos. Em minhas pesquisas encontrei um excelente documento elaborado por Helenice Rego dos Santos Cunha, editado em 2007, intitulado Padrão PUC Minas de normalização: normas da ABNT para apresentação de trabalhos científicos, teses, dissertações e monografias, disponível na Internet, com a  recomendação da utilização da “Norma Geral Internacional de Descrição Arquivística”. Onde ainda encontramos a orientação que

citações e referências de documentos históricos devem descrever a instituição onde os documentos estão armazenados, o conteúdo dos documentos e a o período destes documentos.

A NBR 10520/02 traz ainda três tipos de notas – de referencia, de rodapé e explicativas:

notas de referência: Notas que indicam fontes consultadas ou remetem a outras partes da obra onde o assunto foi abordado.
notas de rodapé: Indicações, observações ou aditamentos ao texto feitos pelo autor, tradutor ou editor, podendo também aparecer na margem esquerda ou direita da mancha gráfica.
notas explicativas: Notas usadas para comentários, esclarecimentos ou explanações, que não possam ser incluídos no texto.

 

Nas notas de rodapé, tal qual na bibliografia, a entrada de autor é o cabeçalho principal da referência. Normalmente é descrita pelo(s) autor (es) ou responsável (eis) pela obra. Para adoção de cabeçalhos de pessoas, deve-se registrar o nome pelo qual a pessoa é registrada em listas de cabeçalhos autorizados, ou o nome impresso na publicação. As instituições devem ser grafadas por extenso. É permitido utilizar apenas as siglas consagradas mundialmente. Para órgãos governamentais diretos, utilizar sempre a área geográfica, seguida do nome da instituição. Em caso de autoria desconhecida, a entrada é pelo título, sendo que a primeira palavra deve ser grafada em letras maiúsculas. Tradutor, Ilustrador, revisor, etc., podem ser digitados após o título da obra. Na transcrição de dados bibliográficos o título e subtítulo devem ser grafados tal como aparecem no documento, ignorando-se as pontuações e o uso de maiúsculas.

O título deve ser reproduzido com inicial maiúscula e demais palavras grafadas em minúsculo, exceto para substantivos próprios: nome de pessoas, entidades, lugares, eras históricas, nomes de disciplinas, cursos ou ciências, nomes que designam cargos, referência a títulos de livros, fatos históricos, nomes de pontos cardeais e regiões. As notas de rodapé devem ser alinhadas, a partir da segunda linha da mesma nota, abaixo da primeira letra da primeira palavra, de forma a destacar o expoente e sem espaço entre elas e com fonte menor.

A numeração das notas de referência é feita por algarismos arábicos, devendo ter numeração única e consecutiva para cada capítulo ou parte. Não se inicia a numeração a cada página.

A numeração das notas explicativas é feita em algarismos arábicos, devendo ter numeração única e consecutiva para cada capítulo ou parte. Não se inicia a numeração a cada página.

Não se deve incluir no texto as considerações ou esclarecimentos para não interromper a seqüência lógica da leitura. As notas explicativas devem ser breves, sucintas e claras.

As notas devem ser colocadas na parte inferior da página, separadas do texto por um a linha contínua de 3 cm e digitadas em espaço simples e com caracteres tamanho 10.

Importante
O uso de notas explicativas muito longas prejudica a leitura do texto.

No nosso próximo encontro complementaremos as informações tratadas hoje, com o estudo da NBR 6023 que se destina a orientar a preparação e compilação de referências de material utilizado para a produção de documentos e para inclusão em bibliografias, resumos, resenhas e outros.

ps – Essse texto baseou-se na NBR 10520/02 e no texto: Padrão PUC Minas de normalização: normas da ABNT para apresentação de trabalhos científicos, teses, dissertações e monografias / Elaboração Helenice Rêgo dos Santos Cunha. Belo Horizonte: PUC Minas, fev. 2007. 64p.

Anúncios
Posted in: ABNT